Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Eventos > Alunos do Colégio Clodomiro visitam a CMI
Início do conteúdo da página

CMI recebe palestra sobre diabetes

Publicado: Segunda, 19 de Março de 2018, 16h46 | Última atualização em Segunda, 19 de Março de 2018, 16h46 | Acessos: 203
imagem sem descrição.

O plenário da Câmara Municipal de Itaguaí recebeu na manhã de sexta-feira (16/03) uma palestra sobre diabetes. Os palestrantes, Ana Maria Batista de Souza, educadora em diabetes e presidente da Associação dos Diabéticos e Familiares de Tanguá (Adifat), e Daniel Ramalho, jornalista e membro do conselho executivo da Adifat, falaram sobre os tipos de diabetes, a diferença entre remissão e cura, alimentação para diabéticos, como identificar o surgimento da doença, a importância de ter uma associação dos diabéticos no município, entre outras coisas.

A palestra teve o objetivo de levar informação e conscientização. Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, a diabetes é uma doença caracterizada pela elevação da glicose no sangue. Ela pode ocorrer devido a defeitos na secreção ou na ação do hormônio insulina, que é produzido no pâncreas, pelas chamadas células beta. A insulina tem como principal função promover a entrada de glicose para as células do organismo de forma que ela possa ser aproveitada para as diversas atividades celulares. A falta da insulina, ou um defeito na sua ação, resulta portanto em acúmulo de glicose no sangue, o que chamamos de hiperglicemia.

Ana Maria explicou a diferença entre diabetes do tipo 1 e diabetes do tipo 2, e comparou a doença com a ação de comer um prato de sopa quente.

— A sopa a gente vai assoprando e comendo pelas beiradas, quando vê já está bem adiantado. Por isso é importante falar sobre a diabetes. O papel da Associação é informar — declarou a presidente da Adifat.

Ana Maria, que não é diabética, contou que sua motivação em trabalhar com o tema surgiu através de uma amiga diabética e que se apaixonou pelo tema.

Já Daniel sente na pele como é conviver com a doença. Ele contou que levava uma vida muito agitada e não percebeu os primeiros sintomas que surgiram. Sede, cansaço extremo, urinar muitas vezes por dia e perder muito peso rapidamente, tudo isso passou batido na correria do seu dia-a-dia. Hoje ele se dedica a ajudar outras pessoas a conviverem com a doença. Além dos trabalho na Adifat, Daniel, que é jornalista, escreve para uma revista eletrônica e tem um blog sobre diabetes, esporte e natureza.

— O diabetes salvou a minha vida. Passei a me cuidar muito mais e me dedicar mais a minha formação para poder ajudar as pessoas — contou o comunicador, que se diz agradecido pela forma como encarou a doença, e em como fez uma coisa negativa se transformar em algo positivo em sua vida, e assim impactar também na vida de outras pessoas.

O evento foi organizado por Edson de Azevedo, pai de um jovem portador de diabetes. Edson contou que quando descobriu a doença de seu filho teve dificuldade para encontrar informações confiáveis, e tomou a iniciativa de trazer a palestra para seu município a fim de ajudar outras pessoas.

registrado em:
Fim do conteúdo da página